Kimpa Vita - A Profetisa ardente [eBook EPUB]

In stock
SKU
40226e
$8.93
Amostras de Leitura:
- Índice e introdução
eBook em formato EPUB com gestão de direitos digitais (DRM) de Adobe
Formato do eBook:

Kimpa Vita tinha entre 18 e 20 anos quando, depois de uma grave doença, disse ter sido possuída por Santo António. E seria como o santo incarnado (daí o nome do movimento) que Kimpa Vita pregaria às multidões do Reino do Kongo, em meio à crise que o assolava, seguindo o rasto de outras profetisas que a precederam, como a Velha Mafuta.

A pregação de Kimpa Vita possuía uma forte conotação política. Ela preconizava o retorno da capital para São Salvador (Mbanza Kongo) e a reunificação do Reino, chegando mesmo a envolver-se nas lutas entre facções da época. As alianças que foi estabelecendo ancoravam-se numa cosmologia complexa e peculiar, que consistia numa "modalidade remodelada e completamente africanizada do cristianismo".
O movimento antoniano rejeitou igualmente boa parte dos sacramentos católicos, como o baptismo, a confissão e o matrimónio. Kimpa Vita adoptou em seu proveito pessoal certas orações católicas, sobretudo a Salve-Rainha, e proibiu a veneração da cruz, por ter sido ela o instrumento da morte de Cristo.

Como é natural, essa pregação despertou a ira dos missionários capuchinhos e das facções adversárias do Antonianismo, que lutavam pelo poder real. O próprio Dom Pedro IV, de início cauteloso e hesitante em reprimir o movimento, terminou cedendo às intrigas dos capuchinhos e ordenou, em 1709, a prisão e a queima na fogueira de Kimpa Vita, como falsa profetisa e herege do Catolicismo.
Apesar de curta duração, a acção de Kimpa Vita e do movimento antoniano deixou até hoje marcas em toda a região do antigo reino e em todos os países para onde foram levados escravos do Congo. Há referências a essa religião no Brasil, no Suriname, na Jamaica, em Barbados, no Haiti e nos próprios Estados Unidos da América (em Nova Orleães, Virgínia e Carolina do Sul).

Mais modernamente, a referência a Kimpa Vita continua viva em muitos movimentos proféticos e messiânicos, como os de Simão Kimbangu, Simão Toko ou Tata Ntuasidi Antoine Ngoko, que lançam o mesmo grito de reunificação: "Mazinga Mlolo", já utilizado por Kimpa Vita no início do século XVIII.

More Information
Author José Mena Abrantes
Publisher Mayamba
Edition no. 1
Year of publication 2019
Print edition page numbers 158
Format EPUB (Adobe DRM)
Language Portuguese
Country of Origin Angola
Devices Disponível para ler em PC e Mac, Laptop, Android Tablets, Apple iPad, iPhone ou iPod Touch, Android Smartphones, Leitores de eBooks para DRM etc.
Write Your Own Review
Only registered users can write reviews. Please Sign in or create an account