Pela Porta da Palavra

In stock
SKU
20101
$4.29
Livro capa mole
Agora, que estamos condenados, cada vez mais, a ler e a escrever cada vez menos… Agora que com o tempo nunca temos tempo, uma crónica deve agarrar o leitor logo pela curiosidade do título e pelo promessa visual de que não será nem longa, nem cansativa. O cronista é assim um homem que ao passo dos dias, descobre a poesia das horas. A mais das vezes mal humorado, serve-se da palavra para castigar os erros e raras vezes se permite aplaudir o que considera bem. Sabendo que além de cronista, o autor é ainda Deputado, apetece perguntar, se intervir na Assembleia, será também uma forma de cronicar oralmente… Ser cronista, escrever uma crónica (mormente se com “injúria”), não é, como se julgará, fácil… Mas não nos esqueçamos – a crónica é um produto essencialmente urbano. De quem sabe escrever, para quem gosta de ler, pelo que deveremos considerar o leitor a quem ela se dirige… Gostareis mais, gostareis menos – de qualquer modo, interessa saber que ides gostar. (Extractos do prefácio) Agora, que estamos condenados, cada vez mais, a ler e a escrever cada vez menos… Agora que com o tempo nunca temos tempo, uma crónica deve agarrar o leitor logo pela curiosidade do título e pelo promessa visual de que não será nem longa, nem cansativa. O cronista é assim um homem que ao passo dos dias, descobre a poesia das horas. A mais das vezes mal humorado, serve-se da palavra para castigar os erros e raras vezes se permite aplaudir o que considera bem. Sabendo que além de cronista, o autor é ainda Deputado, apetece perguntar, se intervir na Assembleia, será também uma forma de cronicar oralmente… Ser cronista, escrever uma crónica (mormente se com “injúria”), não é, como se julgará, fácil… Mas não nos esqueçamos – a crónica é um produto essencialmente urbano. De quem sabe escrever, para quem gosta de ler, pelo que deveremos considerar o leitor a quem ela se dirige… Gostareis mais, gostareis menos – de qualquer modo, interessa saber que ides gostar. (Extractos do prefácio)
More Information
author Conceição Cristóvão
Publisher Chá de Caxinde
Edition no. 1
Year of publication 2003
Page numbers 241
Format Livro capa mole
Language Portuguese
ISBN n.a.
Country of Origin Angola
Dimension 21 x 13,5 x 1,4
About the Author Conceição Cristóvão, nasceu em Malange aos 04/06/1962. • Membro da União dos Escritores Angolanos. • Membro da Ordem dos Engenheiros de Angola. • Docente Universitário e Consultor • Deputado a Assembleia Nacional • Conferencista • Possui textos publicados em Jornais, revistas e antologias (dentro e fora de Angola). Livros do Autor: o A Voz dos Passos Silenciosos (poesia), 1990 – Luanda. o Amores Elípticos (Poesia). 1996 Luanda. o Idade Digítal do Verso (poesia), 2002 - Luanda. Conceição Cristóvão, nasceu em Malange aos 04/06/1962. • Membro da União dos Escritores Angolanos. • Membro da Ordem dos Engenheiros de Angola. • Docente Universitário e Consultor • Deputado a Assembleia Nacional • Conferencista • Possui textos publicados em Jornais, revistas e antologias (dentro e fora de Angola). Livros do Autor: o A Voz dos Passos Silenciosos (poesia), 1990 – Luanda. o Amores Elípticos (Poesia). 1996 Luanda. o Idade Digítal do Verso (poesia), 2002 - Luanda.
Write Your Own Review
Only registered users can write reviews. Please Sign in or create an account
NO IMAGE AVAILABLE